O Motociclista sem Motocicleta

Há muito que venho pensando em dedicar algumas linhas em homenagem àqueles que orbitam o mundo das duas rodas, que frequentam os eventos, os points dos moto clubes, mas que não possuem uma motocicleta – melhor: sequer possuem habilitação para pilotar uma moto. São pessoas que entregam suas vidas em prol da nossa comunidade. Seus amigos, seu meio, seu estilo de vida – somos nós. São verdadeiros ícones – pessoas mais que consagradas numa tribo repleta de caciques e que, por isso mesmo, têm um valor maior ainda, porque se destacam num terreno dominado por pessoas proativas.

Nesse fim de semana, porém, chegou a meu conhecimento que uma cidadã fluminense foi do Rio de Janeiro a Prado, na Bahia, de ônibus. Foram horas de estrada naquele incômodo, somente para participar de um evento de motocicleta – foi a gota d’agua – eu precisava registrar o nosso reconhecimento.

Ser motociclista não é apenas ter uma moto. A motocicleta o dinheiro pode comprar – o espírito motociclista não. Aliás, de todas as características que nos rodeiam, essa talvez seja a de menor importância. Aquela consagrada frase muito ventilada no nosso meio (in verbis), “O motociclismo não precisa de grandes motocicletas e sim de grandes motociclistas”, é a mais pura e cristalina verdade. Para torna-la ainda mais precisa, apenas a complementaríamos com uma fórmula capaz de estampar em seu texto a premissa de que nem todo motociclista precisa, necessariamente, possuir uma motocicleta.

O motociclista é um artista das duas rodas, que desenha suas curvas nas estradas da vida. Seu grafismo fica registrado no asfalto e seu público não são as pessoas comuns, mas tão somente aqueles que sabem apreciar seus traços, aqueles que, como ele, enxergam a vida de uma forma única – quase inenarrável, pois ao mesmo tempo em que admiram a paisagem do alto da montanha – fazem parte dela – ao contemplar cada centímetro do caminho que o levou ao alto da montanha. Esse é o verdadeiro espírito do artista-motociclista. E esse espírito está presente numa legião de pessoas que não possuem motocicletas, mas dedicam suas vidas em nome desse estilo de vida. Em outras palavras: o motociclismo é um estilo de vida que não se resume numa propriedade ou domínio de um motor sobre duas rodas.

Nesse sentido, fica aqui registrado o nosso reconhecimento a todas aquelas almas nobres que amam a vida intensamente – personalidades que valorizam a liberdade acima de tudo, a irmandade, a igualdade, a amizade e companheirismo. Pessoas desprovidas de preconceitos e dotadas de autoestima elevada, que não se abatem porque não possuem um monte de ferro retorcido. Pessoas que nos cercam, nos iluminam e nos admiram, porque somos iguais – somos motociclistas. A moto é um detalhe que, na verdade, nada importa.

Pessoas assim não existem apenas no Rio de Janeiro – estão presentes em todo o Brasil – de ponta a ponta. Amamos vocês. A luz que vocês trazem iluminam mais que muitos espíritos possuidores de máquinas de grande cilindrada. É uma benção tê-los conosco. Estamos juntos e misturados.

Carlos Fernando Maggiolo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *