Nota de repúdio

Os motoqueiros do Brasil repudiam veementemente as declarações do Senador Omar Aziz, que na tentativa de atacar o presidente da República, o chama de “motoqueiro”, como se fosse algo ruim, como se fosse crime ser motoqueiro, tentando dar uma conotação pejorativa à nossa categoria.

Cumpre esclarecer que o Brasil é movido pelos caminhoneiros nas estradas e pelos motoqueiros nas cidades, NOS RESPEITE SENADOR!

Somos responsáveis por grande parte da PIB Brasileiro, gerando milhões de postos de trabalho e renda adquirindo motos, peças e serviços para o lazer, esporte e sobretudo trabalho, e o senhor senador, gera o que???

Somos infinitamente mais valiosos ao país do que este senador que nos custa caro e que saliva ódio pelos Brasileiros e sobretudo pelos motoqueiros.

Ter um presidente “motoqueiro” honra a todos nós, o que não queremos jamais, é um presidente “trambiqueiro” como é o caso do ladrão de nove dedos, tão defendido pelo senador.

Lembramos que o mais humilde entre nossa categoria, com certeza é muito mais honrado, honesto e trabalhador que o senador Aziz.

Imaginar que o presidente da República merece algum descrédito por ser “motoqueiro” é atentar contra a dignidade de cada um de nós.

Se referir de forma discriminatória, pejorativa, desrespeitosa, vil e infundada ao presidente da República, única e exclusivamente pelo fato dele ser motoqueiro, é comprar uma briga com uma categoria que merece muito respeito e que historicamente é unida e continuará sendo ainda mais e, essa briga, o senador já perdeu.

Temos fé e orgulho de nossa profissão, nosso caráter e nossa honra.

Seremos sempre motoqueiros, o presidente será presidente até 2026 e motoqueiro até o último dia de sua vida

O Brasil é motoqueiro e o motoqueiro é patriota e os patriotas estão unidos.

Motoqueiro – Motociclista – Motoboy – Mototudo


Texto amplamente compartilhando nas redes sociais sem autoria definida

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Copias desativadas.