Ser mulher motociclista é…

Ser feliz, mesmo sem destino. Desbravar o mundo fazendo parte de todas paisagens. Se amar e não ligar para o que os outros dizem.

Às vezes, largar um pouco a vaidade e não ligar para os cabelos embaraçados. Parar no farol e sorrir para a fulana do carro que te olha com admiração.

Perfumar o vento por onde passa. Viver de forma simples; parar em um restaurante qualquer na beira de estrada. Aprender a valorizar a liberdade, a se bastar.

Não ligar para preconceitos, ter personalidade. Acelerar, relaxar, ter equilíbrio… Literalmente!

Ser um pouco louca, mas louca pela vida. Viver como se não houvesse o amanhã. Ter amigos de verdade. Tentar fazer o melhor, e não querer ser a melhor.

Aventurar-se, viver a vida real, ter pouco tempo para o virtual.

Mulher motociclista é feliz!
E mulher feliz é mulher bonita!!”


Texto amplamente divulgado nas redes sociais sem autoria definida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Copias desativadas.