Algumas dicas para evitar acidentes com motociclistas

Estudos indicam que o risco de um motociclista morrer no trânsito é muito maior do que o de um ocupante de automóvel e, se essa tendência continuar a crescer, não demora a morte de motociclistas vai superar os índices de todos os outros veículos de transporte de pessoas juntos.

A seguir, seguem algumas situações que todo motorista de veículo de quatro rodas, quer seja carro, ônibus ou caminhão, deve saber sobre as motocicletas e motonetas.

A primeira delas é exatamente saber a diferença entre a motocicleta e a motoneta, em que a motocicleta é um veículo automotor de duas rodas, com ou sem side-car, dirigido por condutor em posição montada, e a motoneta também é um veículo automotor de duas rodas, entretanto, dirigido por condutor em posição sentada. Essa diferença pode influenciar muito na estabilidade do motociclista, caso ele necessite executar uma manobra brusca.

Por ser um veículo de menor porte, a motocicleta/motoneta pode ficar escondida nos “pontos cegos” (aqueles não abrangidos pelos espelhos retrovisores) dos veículos de quatro rodas. A motocicleta/motoneta também pode surgir de repente entre os veículos ou ainda ser confundida com postes, placas de sinalização, árvores, etc. Por isso, antes de trocar de faixa de rolamento ou ao aproximar-se de um cruzamento, deve-se prestar muita atenção e olhar duas vezes nos retrovisores (também é aconselhável aquela olhadinha por cima dos ombros).

Uma motocicleta/motoneta pode estar mais perto do que parece (a imagem do espelho retrovisor não representa a distância real), isso em decorrência da velocidade que ela desenvolve e/ou da intensidade dos faróis (faróis com menor intensidade dão impressão da motocicleta/motoneta estar mais distante). Sempre se deve considerar que ela está mais perto do que parece, principalmente no momento em que se mudar de faixa ou fazer uma conversão (para a direita ou esquerda) ou parar.

Nem sempre os condutores de motocicletas/motonetas utilizam o freio para diminuir a velocidade (reduzem as marchas ou soltam o acelerador), e com isso a luz de freio não acende, por isso deve-se manter uma distância segura desses veículos, principalmente quando se aproximar de um cruzamento.

Motociclistas frequentemente ocupam uma posição na faixa de rolagem para serem vistos mais facilmente ou para evitar sujeira da pista. Vale lembrar que os motociclistas ocupam espaço na faixa com um propósito, não para serem folgados ou para se exibirem. Se a motocicleta/motoneta estiver no canto, não se deve dividir a faixa de rolagem.

Luzes indicadoras de direção (setas) não se desligam automaticamente na maioria das motocicletas/motonetas, portanto, alguns condutores se esquecem de desligar depois de uma curva ou de uma mudança de faixa, por isso não se pode confiar cegamente nessa sinalização. Alertar o motociclista quando deparar com essa situação.

Maneabilidade e agilidade são as maiores características das motocicletas/motonetas, principalmente em velocidade reduzida e em vias bem conservadas, mas não se deve esperar que o motociclista seja sempre capaz de se desviar do caminho ou sair da frente com rapidez, a ponto de evitar a colisão (por falta de habilidade, insegurança de realizar uma manobra abrupta, estar distraído, etc.), por isso é necessário redobrar a atenção, sempre que se aproximar de um motociclista.

A distância de frenagem de um veículo de duas rodas é praticamente a mesma de um carro, porém, pisos molhados ou escorregadios tornam a frenagem complicada em motocicletas/motonetas. Assim, manter distância segura atrás de uma motocicleta/motoneta, é imprescindível.

Quando uma motocicleta/motoneta está em movimento, deve-se ver além dela, pois qualquer incidente pode alterar o comportamento daquele condutor.

Se um carro, caminhão ou ônibus colide em uma motocicleta/motoneta ou bicicleta, pode causar sérios danos e até a morte do condutor desta, isso devido à desproporção de tamanho e massa dos veículos. Evitar os acidentes envolvendo motocicletas/motonetas é uma questão de conscientização e respeito no trânsito.

Respeitar o limite de velocidade e a sinalização, não beber antes de dirigir, usar o cinto de segurança torna o trânsito menos violento!


Texto amplamente divulgado nas redes sociais sem autoria definida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Copias desativadas.