Meu Colete

Se meu colete é pra mim a minha segunda pele, porquê eu nunca lavei ele?

É que nele eu trago o cheiro de cada irmão que abracei, o pó das estradas que passei, a sujeira do chão onde me deitei pra ver o sol se pôr ou pra contemplar as estrelas numa noite sem luar, ou pra namorar a lua cheia no céu a brilhar.

Quem dera meu colete tivesse um marcador de presença para registrar cada lugar que visitei. Mas trago na memória toda história que tenho vivido com ele.

Já troquei de moto várias vezes e amei muito cada motoca que me fez parceria em minhas andanças. Mas a moto não tem um detalhe que meu colete tem: O BRASÃO DO MEU MOTO CLUBE.

Esse detalhe faz toda diferença. Com ele meu colete é mais que uma segunda pele, com ele meu colete é um manto, uma armadura que me transforma num guerreiro de coração mole e aberto. Meu colete me faz sentir obrigado a mudar (pra melhor), o mundo a minha volta e tentar fazer alguém feliz.

Meu colete me faz colocar pra fora todo amor ao próximo que tenho dentro de mim. Ele me da a chance de a qualquer momento, abraçar, trocar ideias por horas com um amigo de infância que acabei de conhecer .

Por isso que amo esse meu colete. Não o lavo, por que na próxima chuva eu estarei rodando com ele e tomaremos um bom banho juntos. Eu amo meu colete e faço questão de honrar o BRASÃO que costurei nele um dia.

HONRE SEU BRASÃO; HONRE O IRMÃO;

HONRE e tenha orgulho de seu colete, mas tenha certeza de que ele, o seu colete, não te dá status algum.

PELE NÃO SE TROCA, SE ORGULHA.


Texto amplamente divulgado nas redes sociais sem autoria definida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Copias desativadas.